Cem anos de Apostolado da Oração, na Matriz

Cem anos de Apostolado da Oração.
Com esta bonita idade, o Apostolado de Oração faz-se presente na Matriz de Portimão. 
Os seus associados quiseram dar graças ao Senhor, partilhar esta alegria, e invocar as bênçãos do Senhor para todos os Portimonenses. Com a presença do Bispo da Diocese, o nosso pároco Pe. Mário de Sousa e o assistente espiritual do Apostolado de oração no Algarve, Monsenhor Cupertino, celebraram a Eucaristia Solene invocando as graças do Senhor recebidas através da oração e testemunho silencioso de tantos irmãos que sempre procuraram ter um coração semelhante ao de Jesus.
Foi distribuída uma oração evocativa da data que pode ser adquirida na paróquia, ou descarrega-la 
  



Jubileu - Monsenhor Luís Cupertino

O cónego monsenhor Joaquim Luís Cupertino, de 87 anos, completou 60 de sacerdócio na passada sexta-feira e para assinalar a efeméride foi celebrada na igreja de matriz de Portimão uma eucaristia de ação de graças.
 Na celebração, presidida nos ritos iniciais pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas agradeceu ao pároco da matriz de Portimão e à paróquia onde colabora o sacerdote aniversariante por aquela celebração, uma iniciativa que considerou “muito oportuna”. O prelado sublinhou o que o monsenhor Joaquim Cupertino constitui para si como “testemunho de simplicidade, confiança, de serviço e de disponibilidade”.

Jubileu - O cónego monsenhor Joaquim Cupertino

O cónego monsenhor Joaquim Cupertino completa no próximo dia 14 deste mês 60 anos de sacerdócio, dedicados na sua maior parte à vida militar, sobretudo na assistência espiritual junto dos homens que combatiam pela nação nas antigas colónias.

Foi ordenado na basílica Nossa Senhora do Rosário de Fátima por D. Francisco Rendeiro, então bispo do Algarve, em 14 de julho de 1957, tendo sido enviado pelo então bispo diocesano para Roma, para se licenciar em Direito Canónico, na Universidade Gregoriana, que frequentou durante dois anos.
De regresso ao Algarve foi nomeado em 1959 vice-reitor do Seminário algarvio, função que desempenhou durante seis anos.
Ao  aproximava a idade da reforma e que tinha sido nomeado reitor do Seminário do Algarve, o patriarca de Lisboa, percebendo a sua saída do patriarcado, pediu ao papa São João Paulo II a sua nomeação de prelado de honra de sua santidade, passando a ter a designação de monsenhor.
Ao cabo de um ano, D. Ernesto Costa, que era também presidente da Comissão Episcopal das Missões, preferiu nomear monsenhor Joaquim Cupertino como diretor nacional das Obras Missionárias Pontifícias, função que foi autorizado a desempenhar pelo então Chefe de Estado-maior das Forças Armadas, Soares Carneiro. Apesar de ser por cinco anos, acabou por estar 12 anos nas Obras Missionárias Pontifícias como diretor nacional.
Em 1987, por provisão de D. Ernesto Costa, foi nomeado cónego do Cabido da Sé de Faro. Em 1994 foi nomeado juiz do Tribunal diocesano do Algarve, por um período de seis anos. Em 2000 foi nomeado juiz do Tribunal Patriarcal de Lisboa e do Tribunal Interdiocesano de Évora, Beja e Algarve, função que ainda desempenha.
De regresso ao Algarve, D. Manuel Madureira Dias, então bispo do Algarve, nomeou-o, no final do mesmo ano, diretor diocesano das Obras Missionárias Pontifícias, assistente do Renovamento Carismático Católico e diretor diocesano do Apostolado de Oração.
 O cónego Joaquim Cupertino colabora com a paróquia matriz de Portimão e, nos últimos tempos, tem estado também a apoiar o vicariato da Pedra Mourinha daquela cidade.
O sacerdote, que completará 88 anos no próximo mês, garante em jeito de balanço que “tem valido a pena”. “Quando a gente trabalha para Deus ele recompensa mais do que a gente pensa”, sustenta.
Para assinalar os 60 anos da ordenação sacerdotal será celebrada uma eucaristia de ação de graças no próximo dia 14 deste mês, às 19h, na igreja matriz de Portimão, presidida pelo bispo do Algarve.
(In folha do Domingo)
 https://folhadodomingo.pt/conego-joaquim-cupertino-celebra-60-anos-de-sacerdocio/

Cáritas Solidária com as vitimas dos Incendios



A Cáritas Portuguesa, quer estar junto dos que sofrem como é seu hábito. Assim lança uma campanha de angariação de fundos para ajudar as vitimas do incêndio.

Pode fazer o seu donativo para a
Conta Cáritas: 0001 2000 0000730
IBAN PT 50 0035 0001 002 000 000 730 54

Para solicitação de recibo, deve o justificativo ser enviado para 
recibos@caritas.pt - indicando o Nº Contribuinte, Nome e morada.

Obrigado pela vossa colaboração.